Programa de Arqueologia Preventiva é realizado no litoral norte de Santa Catarina

Equipe de pesquisadores realizou estudos preventivos na área de implantação de empreendimento imobiliário.

Assim como diversos tipos de segmentos, os empreendimentos do setor imobiliário necessitam para sua implantação, de uma gama de estudos prévios, os quais envolvem desde prospecções de mercado, estudos socioeconômicos, meio ambiente e não obstante os estudos preventivos sobre o patrimônio arqueológico.

Desta forma, em atendimento à esta necessidade e buscando o fiel cumprimento da legislação vigente, uma equipe da Espaço Arqueologia realizou a etapa de Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico na área de implantação do empreendimento imobiliário Summer Beach Home Club, a ser instalado no município de Piçarras, situado no litoral centro-norte do Estado de Santa Catarina.

Nesta etapa de pesquisa, são empregadas as técnicas de campo previstas na metodologia constante do projeto, como a execução de linhas de caminhamento para a verificação da superfície e escavação de poços-teste com cavadeira articulada para as investigações de subsuperfície.

Em linhas gerais, por meio da aplicação das técnicas de observação e caminhamento, o pesquisador consegue identificar vestígios materiais, ou indícios de estruturas que possam existir na superfície do terreno. Já a escavação dos poços-teste, os quais geralmente atingem a profundidade de um metro nos solos arenosos do litoral, considerando-se sempre as características da formação geológica, pode indicar a presença de vestígios propriamente ditos, como materiais líticos, fragmentos cerâmicos, conchas ou mesmo, manchas de carvão que porventura possam existir no subsolo.

Sobre a formação geológica onde está inserida a área do empreendimento, a principal característica está relacionada a formação dos cordões de dunas, típicos do litoral e as camadas de solo com alta compactação, conhecidas como “piçarras”.

As piçarras, como popularmente são conhecidas, são formações que aparecem em grandes extensões de solos da classe dos Espodossolos, os quais possuem horizontes diagnósticos subsuperficiais espódicos, principalmente do tipo ortstein, denominados popularmente na região como “piçarras”. Tais horizontes apresentam coloração preta ou cinzento escura, devido ao enriquecimento com matéria orgânica, e na maioria das vezes contrastam abruptamente com os horizontes eluviais sobrejacentes. Tem alta densidade aparente, baixa permeabilidade e consistência que varia de dura a extremamente dura. Os solos da classe Espodossolo são formados por uma série de processos condicionados pelo relevo e pela dinâmica interna da água (HEBERLE, 2017).

Como explicado pelo pesquisador acima citado, a região onde foi desenvolvida esta pesquisa conta com este tipo de formação geológica, da qual deriva o nome do município.

Como resultado da metodologia aplicada em campo, nenhum vestígio de material, estrutura ou feições arqueológicas foi identificada nesta pesquisa, atestando a viabilidade de instalação do empreendimento, do ponto de vista da arqueologia.

Outra ação de grande importância desenvolvida neste projeto está ligada à realização da divulgação e extroversão sobre esta pesquisa junto aos moradores das localidades mais próximas ao empreendimento e junto ao Centro Integrado de Ensino Fundamental Profª. Mirian Geny Friedrichsen. Nestas atividades, foram destacados a necessidade e a importância sobre a realização das pesquisas arqueológicas para a promoção do conhecimento e a preservação do patrimônio arqueológico. Nas conversas foram entregues dois materiais didático-informativos, em formato de folders, sendo um folder com conteúdo voltado para as normas e procedimentos inerentes à realização das pesquisas arqueológicas no âmbito dos processos de licenciamento ambiental de empreendimentos e um segundo folder com conteúdo específico sobre as pesquisas arqueológicas desenvolvidas no litoral de Santa Catarina.

Sendo assim, mais uma vez, procuramos por meio da realização da presente pesquisa, elevar o conhecimento sobre a arqueologia do litoral catarinense e ao mesmo tempo trabalhar na difusão junto a comunidade sobre a realização da pesquisa, contribuindo para a preservação do patrimônio cultural brasileiro.