Município do estado do Paraná é palco de pesquisas arqueológicas.

Área estudada receberá implantação de obra do setor energético.

O município de Mandirituba, situado na porção sul da Região Metropolitana de Curitiba, possui alto potencial para pesquisas arqueológicas. A região possui sítios arqueológicos registrados que remontam a ocupação humana desde os tempos mais antigos, por grupos caçadores-coletores, até os povos Jê Meridionais e Guarani.

No mês de abril, uma equipe de pesquisadores da Espaço Arqueologia realizou uma avaliação de impacto ao patrimônio arqueológico na área projetada para a instalação de uma central geradora hidrelétrica (CGH), nas margens do Rio da Várzea. Tendo em vista que empreendimentos dessa natureza podem causar algum impacto a eventuais sítios arqueológicos presentes nas áreas que serão implantados, o estudo foi necessário visando o atendimento da legislação vigente de proteção ao patrimônio arqueológico.

Sendo assim, foram realizadas prospecções sistemáticas, em superfície e em subsuperfície, na área diretamente afetada e na área de influência direta do empreendimento. Como resultado, não foram identificados vestígios arqueológicos, indicando, portanto, sua implantação não acarretará em impacto ao patrimônio arqueológico. Além disso, foram realizadas conversas com moradores do entorno, a fim de levantar possíveis informações sobre sítios existentes na área e também realizar a divulgação da pesquisa. Essa ação contribuiu para um melhor conhecimento do local de pesquisa e também para a transmissão do conhecimento arqueológico já produzido sobre a ocupação humana no planalto de Curitiba.