Monitoramento Arqueológico oportuniza identificação de novos sítios no sudoeste do Paraná

As atividades acontecem desde junho de 2019 na área de implantação da PCH Foz do Estrela.

Atualmente, a Pequena Central Hidrelétrica Foz do Estrela está sendo instalada no curso do Rio Iratim e Rio da Estrela – afluentes que perpassam Coronel Domingos Soares, município da região sul do Paraná.

Na etapa anterior a construção do empreendimento energético, foram identificados um total de 12 sítios arqueológicos na área de pesquisa, caracterizados como sítios líticos e litocerâmicos a céu aberto. O mapeamento deste conjunto de sítios, realizado durante a prospecção arqueológica, revelou o alto potencial da área e tornou necessária, durante a fase seguinte, a execução do Monitoramento Arqueológico. As ações em campo abrangem o acompanhamento das atividades que envolvem o revolvimento do solo com o intuito de contribuir com a salvaguarda dos novos sítios que estão cobertos pelo sedimento.

Durante os primeiros meses de monitoramento houve a identificação de uma série de sítios inéditos. Entre os dias 10 de junho e 31 de agosto foram registrados 8 novos sítios arqueológicos. Além dos sítios arqueológicos líticos e litocerâmicos, citados anteriormente, foram encontradas também casas subterrâneas. Este material traz importantes informações sobre o modo de vida dos grupos que ocuparam o ambiente no passado, auxiliando no entendimento e construção do conhecimento sobre os homens e mulheres que viveram nas proximidades dos rios Iratim e da Estrela.
Tendo a pesquisa uma função social, a equipe da Espaço Arqueologia atuou, junto aos funcionários da obra e a comunidade local, na divulgação dos resultados alcançados neste primeiro trimestre de Monitoramento Arqueológico.

Foram efetuadas duas ações educativas com os colaboradores da obra durante atividades de integração, com vistas a informar sobre as características e os procedimentos executados no âmbito do Monitoramento Arqueológico do empreendimento, apresentando, ainda, os resultados das pesquisas alcançados até o momento e as formas de salvaguarda dos sítios arqueológicos já registrados ou a serem registrados no ambiente da obra.

Já os moradores de Ponte do Iratim têm sido importantes atores sociais nas pesquisas que vêm ocorrendo desde 2018, participando de forma ativa das pesquisas sobre as manifestações culturais locais e o histórico de formação da comunidade. Um produto desse envolvimento é o documentário historiográfico Ponte das Lembranças, lançado em setembro de 2018 e disponível para visualização do público geral no canal da Espaço Arqueologia no YouTube.
Confira aqui.