Espaço Arqueologia em um dos mais importantes eventos do setor energético

Representantes estiveram na 3ª Conferência Nacional de PCHs e CGHs, em Curitiba.

Desde a década de 1980 a Arqueologia Preventiva tem se tornado um campo de atuação de muitos profissionais do ramo da arqueologia no Brasil. Alicerçados em legislação específica que insere a arqueologia no licenciamento ambiental, os estudos preventivos acontecem quando organizações, sejam privadas ou públicas, contratam os serviços de arqueologia para o licenciamento de algum empreendimento, como a construção de uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH). A Arqueologia Preventiva é regulamentada por lei e visa proteger o patrimônio arqueológico através de portarias do Instituto Patrimônio Histórico e Arqueológico Nacional, IPHAN. Entre as contratantes, estão as empresas que se dedicam à geração e transmissão de energia hidrelétrica, como PCH´s, CGH´s e linhas de transmissão, temas que movimentaram o Parque Barigui na última semana. Entre os dias 8 e 10 de maio, a capital paranaense recebeu a 3ª Conferência Nacional de PCHs e CGHs. O encontro, organizado pela Associação Brasileira de Pequenas Centrais Hidrelétricas (ABRAPCH), com o apoio da Prefeitura de Curitiba, reuniu mais de 400 participantes, entre eles os principais atores envolvidos com o setor energético, como empreendedores, autoridades do governo e especialistas. A Espaço Arqueologia esteve representada pelos arqueólogos Dr. Raul Viana Novasco e Dr. Valdir Luiz Schwengber e pela gestora Lúcia Maria Konrad Schwengber.
Para Valdir Luiz Schwengber, arqueólogo responsável e diretor da Espaço Arqueologia, o evento gerou um ambiente propício para discutir aspectos regulatórios, socioambientais, econômicos e políticos que tangenciam o setor de geração de energia hidrelétrica, incluindo o que se convencionou chamar de ‘licenciamento arqueológico’. Por isso, segundo o arqueólogo, a presença da Espaço Arqueologia no evento foi de grande relevância, pois permitiu o diálogo entre arqueólogos e investidores e o esclarecimento de dúvidas acerca dos procedimentos e trâmites que envolvem o estudo arqueológico no âmbito do licenciamento ambiental. Outro destaque foi a implantação de uma mini usina hidrelétrica no Parque Barigui, local do evento. Doada ao Município pela ABRAPCH, a Central Geradora Hidrelétrica Nicolau Klüppel irá gerar energia limpa e renovável para todo o parque e já é exemplo para outras cidades.