Sítios com Artes Rupestres são mapeados no nordeste do Brasil.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

As pinturas representam formas geométricas, animais e seres humanos.

Foram dezessete sítios arqueológicos inéditos mapeados nas áreas de influência do Complexo Eólico Grande Serra, previsto para ser instalado no município de Gentio do Ouro, região Centro-Norte do Estado da Bahia.

Estes sítios arqueológicos são caracterizados por pinturas rupestres elaboradas em formações rochosas que compõem áreas de abrigo e paredões situados próximos aos rios, onde comumente os grupos do passado permaneciam. As motivações representadas nas pinturas são constituídas por figuras geométricas, representações de animais (zoomorfos) e de seres humanos (antropomorfos). Observa-se também, que para colorir os desenhos foram utilizadas, predominantemente, vermelho e amarelo.

Destaca-se que estas informações são preliminares, uma vez que a pesquisa se encontra no desenvolvimento de sua etapa inicial, denominada “Avaliação de Potencial de Impacto ao Patrimônio Arqueológico”, prevista na Instrução Normativa do IPHAN nº 001/2015. Nesta fase, o principal objetivo consiste na avaliação das áreas de influência do empreendimento, por meio de pesquisas bibliográficas e levantamentos de campo, como caminhamentos, verificações aéreas com a utilização de Drone e registros fotográficos dos compartimentos ambientais que compõem a área. Após estes estudos iniciais, a pesquisa entrará em uma segunda etapa, onde ocorre um refinamento das informações obtidas.

Juntamente às atividades de campo, foram realizados neste mesmo projeto, ações de esclarecimento e divulgação da pesquisa junto aos moradores sediados nas áreas mais próximas ao empreendimento. Foram prestados esclarecimentos sobre a necessidade de realização da pesquisa arqueológica e enfatizado a importância das análises científicas para a preservação do patrimônio arqueológico. Também foram distribuídos materiais didático-informativos, compostos por folders com conteúdo relativo ao trabalho prestado nos processos de licenciamento ambiental aos participantes desta atividade.

Estas ações objetivaram a socialização dos resultados das pesquisas junto à comunidade, despertando o interesse pelo tema e a necessidade de preservação do patrimônio arqueológico.

Neste momento, a pesquisa está em fase de elaboração do relatório para protocolo junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional da Bahia (IPHAN-BA), o qual, por sua vez realizará a análise sobre os procedimentos e resultados obtidos na etapa de pesquisa realizada. Após manifestação do órgão, será dado início à próxima etapa de estudos, a qual trará novas informações em relação ao patrimônio arqueológico desta região.