Arqueologia preventiva em Francisco Beltrão, Paraná

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Estudo de Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico às margens do Rio Marrecas

Na segunda semana de novembro de 2020, a equipe da Espaço Arqueologia foi até o sudoeste do Paraná para produzir pesquisas arqueológicas na margem direita do Rio Marrecas, área que será afetada pela implantação de uma Central Geradora Hidrelétrica.

As pesquisas, desenvolvidas no contexto do processo de licenciamento, tiveram como foco a avaliação da implantação do empreendimento para prevenir impactos ao patrimônio arqueológico que, porventura, houvesse no local.

Como uma primeira etapa do projeto, foram feitas pesquisas bibliográficas e análises cartográficas que tiveram como finalidade verificar se os sítios mapeados na região se situam nas imediações da área de interesse do empreendimento. Como resultado, constatou-se a inexistência de registros de sítios arqueológicos no curso do Rio Marrecas, sendo que a maior parte dos sítios mapeados em Francisco Beltrão se localizam nas margens do Rio Santana.

Após essa etapa, deu-se início às atividades de campo, onde caminhamentos sistemáticos e poços-teste foram executados. Com os caminhamentos, constatou-se que a área possui variações de relevo pouco significativas, que se acentuam nas margens do rio, onde há maior declividade e maior exposição de afloramentos rochosos. Com os poços-teste escavados, verificou-se a presença de solos rasos nas imediações do rio e, ao se afastar do afluente, solos mais profundos.

Toda a área do empreendimento foi intensivamente prospectada e, como resultado, não foram encontrados sítios arqueológicos ou ocorrências isoladas.

Vale destacar o importante papel da Arqueologia Preventiva e sua inclusão nos processos de licenciamento ambiental, uma vez que, além de contribuir para a valorização e salvaguarda do Patrimônio Arqueológico, ela faz com que se cumpra o que prevê a Legislação Brasileira e Constituição Federal, que fixam como política de Estado a proteção dos sítios arqueológicos.